sábado, março 2, 2024
InícioPiscinaO tamanho da piscina

O tamanho da piscina

Uma das mais obscuras regras em termos de conhecimento fala sobre o tamanho exato da piscina.

São diversas as medidas que são envolvidas na piscina, vamos ficar por enquanto somente na mais importante: o comprimento.

Como sabem, as piscinas são divididas entre 2 comprimentos: 25 metros e 50 metros. Existe ainda as piscinas de 25 jardas (= 22,86 metros) muito comuns nos Estados Unidos. Mas para validação de recordes mundiais, a FINA só reconhece as duas primeiras medidas, em metros.

Melhorando a precisão, as piscinas tem que ter 25,00 e 50,00 metros, com uma tolerância máxima de 0,03 metros, o que trocando em miúdos ela pode ter entre 25,00 e 25,03 ou 50,00 a 50,03. São 3 centímetros que fazem a diferença.

Nunca uma piscina pode ter 24,99 ou 49,98.

Esta tolerância se deve principalmente ao fato de ser instalado na parede de cada lado da piscina as placas de toque da cronometragem eletrônica:

Com a instalação desta placa, a medida da piscina tem que ficar entre 25,00 e 25,03 ou ainda 50,00 e 50,03.

A medição deve ser feita por um oficial da Federação, Confederação ou FINA, ou ainda – melhor – por um agrimensor.

O agrimensor utiliza esse aparelho meio binóculo acima, chamado teodolito. Para saber mais sobre ele, consulte a Wikipedia: https://pt.wikipedia.org/wiki/Teodolito

Já os oficiais indicados podem utilizar uma fita métrica de aço ou um medidor a laser. É importante saber que esta medida oficial deve ser realizada em todas as raias, numa área que compreende 30 centímetros acima do nível da água e 80 centímetros abaixo do nível da água.

Quem se recorda do memorável recorde de César Cielo na piscina do Esporte Clube Pinheiros, com 20s91, em 2009? Pois saibam que dias antes haviam técnicos na piscina checando o comprimento. Isso é um requisito que a FINA faz para ter certeza que a piscina onde os atletas competiram – e superaram recordes mundiais – está dentro das medidas estabelecidas. Se não estiver, bem, o recorde não valeria. Se estivesse com 50,04 metros, não vale. Se estiver com 49,99995, também não vale.

 

Muitas piscinas perdem suas medidas oficiais por causa de reformas. A troca dos azulejos laterais é um dos grandes motivos, aliado à nova camada de concreto.

E não adianta recuar o bloco de partida para “compensar” a perda no comprimento, como já vi um engenheiro recomendar durante a reforma errada numa piscina!

Por isso, prefeituras, clubes, academias e associações devem consultar a Federação estadual ou até mesmo com a Confederação ANTES de iniciar uma reforma para saber se a piscina ainda ficará de acordo com as medidas exigidas.


“Ei! Não esquece do ralo!!!!”

Muitos atletas acreditam que certas piscinas são maiores que outras, mas a combinação entre altitude e profundidade faz com que eles tenham a sensação de que estão nadando a mais, quando a piscina tem exatamente o mesmo comprimento de outras ao nível do mar. Uma comparação seria entre a piscina do Minas Tênis Clube ou ainda do DEFER de Brasília, e a piscina do Parque Aquático Julio de Lamare e do Parque Aquático Maria Lenk. Todas tem 50 metros, mas nadar em Brasília dá uma sensação de que ela é muuuuuito mais longa…

 

Árbitro de Nataçãohttp://www.regrasdenatacao.com.br/
Olá, eu sou o árbitro de natação e adoro discutir sobre regras de natação. Leia, releia, discuta e conheça as regras que movimentam o nosso esporte.
RELATED ARTICLES

Most Popular

Recent Comments

ALCIDES PEREIRA DA SILVA on Vídeo: como é uma virada de costas regular
Lidyane Maciel on As categorias no Brasil
Bruno Gouvea on A saída de mergulho
Guilherme da Silva on Nado borboleta na categoria master
Maria Salete ribeiro on As categorias no Brasil
GABRIELA AMANCIO VELOSO on Como é calculado o índice técnico
Sandra Belarmina da Silva Rodrigues on As categorias no Brasil
Anonimo on Regras oficiais
Victor hugo on A saída de mergulho
Marco Túlio Vichinski Rocha on As categorias no Brasil
Gilson Ataides Rodrigues on As categorias no Brasil
Marcia on Regras oficiais
Fabiana Machado Santos on As categorias no Brasil
José Carlos on Regras oficiais
Eduardo Alvim on Regras oficiais
Marco Batista on Entre em contato!
Marco Aurélio Marques Batista on Entre em contato!
Marco Aurélio Marques Batista on Árbitros brasileiros relacionados na FINA
wendell de oliveira freire on Entre em contato!
luis on Regras oficiais
Erlon Pinheiro on Regras oficiais
paulo roberto de souza on Regras oficiais
Natan Cyrino Volpini on Entre em contato!
Natan Cyrino Volpini on Perfil: Marcelo Falcão
hudson furlanetto silva on Virada errada de costas
Fenelon Vieira de Carvalho on Como é feito um balizamento?
miguel on Regras oficiais
Ninfa Aliaga Tello on Perfil: Marcelo Falcão
arbitro on Regras oficiais
Eduardo on Regras oficiais
Fernando Franco on A saída de mergulho
Fenelon Vieira de Carvalho on Mudanças no nado peito
arbitro on Regras oficiais
Julio Cesar on A posição dos pés
Ronaldo Marra on A posição dos pés
arbitro on Trajes aprovados
celso dolivo on Trajes aprovados
Germano Colling on A posição dos pés
jose estevam simoes on Entre em contato!
Ernesto Lima Filho on Entre em contato!
LUIZ FERNANDO on As categorias no Brasil
Daniel Takata on Swim-off: o que é isso?
Alexandre on A saída de mergulho
Adalberto on Voltando a submergir
Adalberto on Regras oficiais
Andréa Coêlho on Regras oficiais