Árbitros brasileiros relacionados na FINA

A lista número 20 da FINA foi publicada em dezembro de 2018 e é válida de 01/01/2019 até 31/12/2022. A lista contém apenas 3 brasileiros, indicados como árbitro-geral:

  • DANIEL JAVIER SCHNEIDER
  • MARCELO FONSECA
  • MARCELO FALCÃO

Problemas com a Federação Internacional relacionados à complicada transição de presidência da CBDA entre os anos 2016 e 2018 acabaram colocando a Argentina como principal país da América do Sul perante a FINA e o país incluiu 5 nomes na lista, a maior quantia entre todos os países da América do Sul. No total, árbitros de 114 países fazem parte da lista número 20.

O máximo de árbitros que um país pode ter indicado nas listas da FINA é 5, exceto o país-sede de Campeonatos Mundiais e Olimpíadas.

Confira a lista completa: Lista n20 FINA Swimming Officials

A lista número 19 foi publicada no dia 9 de novembro de 2016, no site da FINA, e inclui 4 brasileiros, dois como árbitro-geral e dois como árbitro de partida:

  • ÁRBITRO-GERAL
    • JEFFERSON DOS SANTOS BORGES (MS)
    • MARIA CRISTINA FERREIRA SANTOS (SC)
  • ÁRBITRO DE PARTIDA
    • MÁRCIO LUIZ SILVA DA FONSECA (RJ)
    • RENATO BARROSO DA SILVA (SP)

A lista número 19 inicia em 01/01/2017 e tem validade até 31/12/2020, ou seja, estes são os únicos árbitros brasileiros que poderão figurar nos próximos Jogos Olímpicos, em Tóquio.

As listas agora podem ser consultadas no link abaixo:

https://www.fina.org/content/fina-officials-lists

A lista número 18 aumentou o número de árbitros brasileiros habilitados para Campeonatos Internacionais. Agora são 8 árbitros-gerais. A lista não contém nenhum novo árbitro de partida.

Lista número 18 (válido até 31/12/2018):

  • ÁRBITRO
    • DANIEL SCHNEIDER (SP)
    • MARCELO FALCÃO (PE)
    • ANDERSON OSÓRIO (RS)
    • ANDREA DA SILVA (CE)
    • REGINA THON (PR)
    • RENATO FERREIRA (MG)
    • SANDRO ANDRADE (BA)
    • MARCELO FONSECA (RJ)

Nas águas abertas, o Brasil também tem árbitros FINA, aptos para comandar qualquer campeonato internacional:

Lista número 10 (válido até 31/12/2016):

  • HUMBERTANIO SILVA
  • HENRIQUE BORGES
  • JOÃO LUIZ BIZERRA (SP)
  • MARCELO AMIN (SC)

Lista número 11 (válido até 31/12/2018):

  • SUED AWAD (BA)
  • CHRISTIANE FANZERES (RJ)
  • ARTUR PEDROZA (RJ)
  • RICARDO RATTO (RJ)
  • FERNANDO THOMING (PR)

A Fina divulgou a lista número 17, confirmando 3 dos 4 nomes da lista 15, que agora tem validade até 31/12/2016:

Lista número 17 (válido até 31/12/2016):

  • ÁRBITRO
    • JEFFERSON BORGES
    • MARIA CRISTINA SANTOS
  • JUIZ DE PARTIDA
    • RENATO BARROSO SILVA

Segundo Rodney Finizola, coordenador geral da CBDA, o Brasil por ser sede da Olimpíada em 2016, ainda terá direito a indicar mais 3 nomes que atuarão durante os Jogos.


Rodrigo Passos, Maria Cristina, Marcelo Falcão e Roberto Junior

A Federação Internacional de Natação mantém duas listas de árbitros de natação de nível internacional, cujos nomes são enviados pela Confederação a cada dois anos.


Marcelo Fonseca

Cada Federação Nacional pode ter 3 árbitros e 2 juízes de partida. Constando nas listas, o árbitro pode participar ou ser convocado para eventos organizados pela FINA durante o período válido da lista.


Daniel Schneider

Lista número 15 (válido até 31/12/2012):

  • ÁRBITRO
    • JEFFERSON BORGES
    • RODRIGO PASSOS
    • MARIA CRISTINA SANTOS
  • JUIZ DE PARTIDA
    • RENATO BARROSO SILVA

Lista número 16 (válido até 31/12/2014):

  • ÁRBITRO
    • DANIEL SCHNEIDER
    • MARCELO FALCÃO
    • MARCELO SILVA DE FONSECA
  • JUIZ DE PARTIDA
    • ROBERTO NUNES JUNIOR
    • SÉRGIO SILVA


Jefferson Borges

A idade limite para fazer parte desta lista é 65 anos. Isso só é válido para a natação. Nas outras modalidades existem outros limites definidos.


Sérgio Silva, à esquerda

Por árbitro entende-se que a pessoa poderá trabalhar desde cronometrista até árbitro geral da competição. Juiz de partida tem a única função definida e cada competição pode ter dois juízes de partida trabalhando por sessão: um para as provas femininas e outro para as provas masculinas.


Renato Barroso

A indicação da CBDA para o quadro de árbitros da FINA usa um critério que leva em conta basicamente a experiência do árbitro em nível nacional. É possível também ser uma indicação política, mas todos que constam na lista, independente de ter sido uma escolha indicada ou não, tem ampla experiência em eventos organizados pelas Federações estaduais e pela própria Confederação.

Página com as listas: https://www.fina.org/H2O/index.php?option=com_content&view=section&layout=blog&id=21&Itemid=1217