sábado, março 2, 2024
InícioÁrbitroA saída de mergulho

A saída de mergulho

A saída é um momento de maior concentração do atleta. E também do árbitro de partida, um oficial da arbitragem cuja única função é dar a partida da prova corretamente. Acreditem, não parece ser tão fácil.

As saídas dos nados borboleta, peito, medley (individual) e crawl são realizadas fora da água, do bloco de partida, por mergulho (“dive” em inglês). No master, a saída pode ser feita de qualquer posição – no limite de sua raia – fora do bloco. Já os paralímpicos tem algumas outras regras a serem cumpridas, mas basicamente podem sair do bloco, da parede ou de dentro d’água. Vamos ficar apenas na natação tradicional, saída com mergulho.

O atleta tem que subir no bloco quando o árbitro geral dá o apito longo. A partir daí, quando o árbitro geral autoriza a partida, ele estende o braço ao árbitro de partida num sinal de que a prova está sob o controle deste.

Em épocas mais antigas, ao anúncio “a suas marcas”, os atletas avançavam no bloco para se posicionar. Hoje é muito mais comum o atleta já deixar os pés na posição em que vai largar, porque o bloco hoje é mais inclinado e porque também dá mais confiança ao atleta em se preparar antes do anúncio.

Ao anunciar “A suas marcas”, todos os atletas devem tomar posições de partida e permanecer imóveis, além de um dos pés do atleta deve necessariamente estar na posição da frente. O árbitro de partida só deve dar o sinal de partida quando TODOS os atletas permanecerem imóveis.


Essa é talvez a mais emblemática desclassificação da história da natação. Em 2004, durante a Seletiva Olímpica Australiana para Atenas, na final da prova de 400m livre, o melhor tempo do mundo simplesmente “caiu” do bloco. Foi uma ducha de água fria em todo o país. Até mesmo ao árbitro geral, que cumpriu o papel e desclassificou Ian Thorpe. Tempos depois, o companheiro Craig Stevens cedeu a vaga ao Thorpedo, causando mais polêmica, mas que no fim das contas, com toda a pressão do mundo sobre o australiano, chorou muito ao vencer a prova em Atenas.

Se um engraçadinho ficar se movendo, duas coisas vão acontecer: a partida será adiada, com o árbitro de partida anunciando aos atletas para descansar/relaxar, e o árbitro de partida irá comunicar o árbitro geral que tal atleta está atrasando a partida. Assim, o árbitro geral vai até o atleta solicitar que o mesmo permaneça imóvel para que a partida seja possível de ser realizada.

Nos cursos e instruções, o árbitro de partida é treinado e conscientizado de que uma boa partida é uma partida justa, o que pode ser interpretado como “quando todos os atletas saíram em igualdade de condições”.

SW 2.3.3 The starter shall have power to decide whether the start is fair, subject only to the decision of the Referee.

É totalmente passível de desclassificação atrasar a saída, e dependerá do árbitro geral notar má-fé do atleta – auxiliado pelo árbitro de partida.

SW 2.3.2 The starter shall report a swimmer to the referee for delaying the start, for wilfully disobeying an order or for any other misconduct taking place at the start, but only the referee may disqualify a swimmer for such delay, wilful disobedience or misconduct.

A regra diz que o árbitro de partida DEVE dar a partida assim que todos os nadadores estiverem prontos:

SW 4.1 The start in Freestyle, Breaststroke, Butterfly and Individual Medley races shall be with a dive. On the long whistle (SW 2.1.5) from the referee the swimmers shall step onto the starting platform and remain there. On the starter’s command “take your marks”, they shall immediately take up a starting position with at least one foot at the front of the starting platforms. The position of the hands is not relevant. When all swimmers are stationary, the starter shall give the starting signal.

A questão da desclassificação durante a partida é muitas vezes polêmica porque existe o paradigma “o árbitro não pode dar partida porque o atleta não estava imóvel, então o atleta pode se mexer porque o árbitro ainda não deu a partida”, o que é falso.
Por largada entende-se que é o impulso do atleta em direção à piscina. Logo, dar uma tremida no momento da largada não deve ser considerado uma saída antecipada. Levantar o corpo, no entanto, pode ser considerada uma saída antecipada, ou ainda deixar o corpo cair.
Se o atleta estiver já no movimento de saída e não deu tempo pro árbitro de partida anular (chamar os atletas para descansar/relaxar), a saída é dada normalmente e o atleta que “queimou” (largou antes) é desclassificado no fim da prova.

SW 4.4 Any swimmer starting before the starting signal has been given, shall be disqualified. If the starting signal sounds before the disqualification is declared, the race shall continue and the swimmer or swimmers shall be disqualified upon completion of the race. If the disqualification is declared before the starting signal, the signal shall not be given, but the remaining swimmers shall be called back and start again. The Referee repeats the starting procedure beginning with the long whistle (the second one for backstroke) as per SW 2.1.5.

Uma das grandes injustiças é o atleta que está do lado do que queimou cair na água junto porque “percebeu” que o outro saiu. O normal é ser desclassificado, mas dependerá do julgamento do árbitro geral.
O mesmo ocorre com saídas antecipadas baseadas em som externo. O som dos mecanismos automáticos de partida são bem distintos, muito difíceis de serem reproduzidos numa arquibancada. O atleta tem que ter em mente que é este som que ele deve prestar atenção e não em vuvulzela, apito ou grito. Mesmo que ele saia antes “porque ouvi um barulho na arquibancada”, o julgamento do árbitro geral pode não ser o mesmo do atleta e ele poderá ser desclassificado.
Uma dúvida ocorreu do leitor Aécio: “Quanto tempo o nadador pode se atrasar num procedimento de partida? Será que ele pode sair bem depois de ser dada a largada, sem ser desclassificado?” 
Não há tempo limite para atraso. Se a partida foi dada e 15 segundos depois o atleta decidir sair, ainda assim será considerada uma saída correta. Não poderá ser desclassificado porque o único prejudicado foi ele próprio. Aliás, quem é doido hoje em dia para atrasar sua própria partida em, que seja, 1 segundo?
Árbitro de Nataçãohttp://www.regrasdenatacao.com.br/
Olá, eu sou o árbitro de natação e adoro discutir sobre regras de natação. Leia, releia, discuta e conheça as regras que movimentam o nosso esporte.
RELATED ARTICLES

9 COMENTÁRIOS

  1. Se ela não largou antes do sinal de partida, não, ela não poderia ser desclassificada.
    Se ela caiu na piscina antes do sinal de partida, falaram a ela para subir de novo e continuar a prova, os árbitros deveriam ter alertado que ela já estava desclassificada e nem poderia competir.

  2. Minha filha escorregou e caiu na piscina antes da largada . O piso não era antiderrapante.mandaram ela subiu novamente e continuar a prova.ela ganhou.no final desclassificaram ela.
    Isso pode acontecer?

  3. é contagiante o que eles fazem, eu tenho quase 8 anos e faço natação.
    mais meu professor sempre fala pra eu melhorar,mais tem vezes que eu consigo e outras não .
    entrei nesse site e eu fiquei observando como se mergulhar.
    no fundo do meu coração e o meu desejo é aprender a fazer tudo certinho beijos luiza

  4. Muito bom o artigo sobre largada de natação, acredito que deva-se trabalhar quem os fatores psicológicos e mentais.

    Onde posso conseguir o arquivo com o apitos e sons da largada?

Most Popular

Recent Comments

ALCIDES PEREIRA DA SILVA on Vídeo: como é uma virada de costas regular
Lidyane Maciel on As categorias no Brasil
Bruno Gouvea on A saída de mergulho
Guilherme da Silva on Nado borboleta na categoria master
Maria Salete ribeiro on As categorias no Brasil
GABRIELA AMANCIO VELOSO on Como é calculado o índice técnico
Sandra Belarmina da Silva Rodrigues on As categorias no Brasil
Anonimo on Regras oficiais
Victor hugo on A saída de mergulho
Marco Túlio Vichinski Rocha on As categorias no Brasil
Gilson Ataides Rodrigues on As categorias no Brasil
Marcia on Regras oficiais
Fabiana Machado Santos on As categorias no Brasil
José Carlos on Regras oficiais
Eduardo Alvim on Regras oficiais
Marco Batista on Entre em contato!
Marco Aurélio Marques Batista on Entre em contato!
Marco Aurélio Marques Batista on Árbitros brasileiros relacionados na FINA
wendell de oliveira freire on Entre em contato!
luis on Regras oficiais
Erlon Pinheiro on Regras oficiais
paulo roberto de souza on Regras oficiais
Natan Cyrino Volpini on Entre em contato!
Natan Cyrino Volpini on Perfil: Marcelo Falcão
hudson furlanetto silva on Virada errada de costas
Fenelon Vieira de Carvalho on Como é feito um balizamento?
miguel on Regras oficiais
Ninfa Aliaga Tello on Perfil: Marcelo Falcão
arbitro on Regras oficiais
Eduardo on Regras oficiais
Fernando Franco on A saída de mergulho
Fenelon Vieira de Carvalho on Mudanças no nado peito
arbitro on Regras oficiais
Julio Cesar on A posição dos pés
Ronaldo Marra on A posição dos pés
arbitro on Trajes aprovados
celso dolivo on Trajes aprovados
Germano Colling on A posição dos pés
jose estevam simoes on Entre em contato!
Ernesto Lima Filho on Entre em contato!
LUIZ FERNANDO on As categorias no Brasil
Daniel Takata on Swim-off: o que é isso?
Alexandre on A saída de mergulho
Adalberto on Voltando a submergir
Adalberto on Regras oficiais
Andréa Coêlho on Regras oficiais