sábado, junho 22, 2024
InícioÍndice TécnicoComo é calculado o índice técnico

Como é calculado o índice técnico

O índice técnico é uma pontuação criada pela FINA na década de 1980 para poder comparar diferentes resultados de diferentes provas, obtendo assim um número absoluto que corresponde à melhor performance da competição.

Screen Shot 2016-04-09 at 19.11.35

Seria como perguntar “quem nadou melhor: o atleta que fez 22.00 nos 50m livre ou o que fez 14:49.00 nos 1500m livre?”. A comparação por tempo não é possível, tampouco seria justo e racional fracionar a metragem proporcionalmente.

Criado quase que simultaneamente com o Circuito da Copa do Mundo de Natação, a fórmula mudou bastante desde a década de 80, e a atual é utilizada há, pelo menos, 15 anos (não conseguimos encontrar a data exata da mudança da fórmula).

Para se calcular a pontuação de índice técnico (FINA points em internacional), é utilizado um tempo-base para cálculo. Este tempo é a referência do que é considerado 1000 pontos. Hoje ele é o recorde mundial até o dia 31 de dezembro do ano anterior, para recordes em piscina longa (50m), e até o dia 31 de agosto da temporada anterior para recordes em piscina curta (25m).

Ou seja, exemplificando que estamos falando da temporada 2016, em piscina longa: o recorde mundial que é usado para cálculo é o recorde mundial do dia 31 de dezembro de 2015, enquanto que em piscina curta, deve ser usado o recorde mundial em 31 de agosto de 2015 – se a competição for realizada antes desta data em 2016, ou o recorde mundial em 31 de agosto de 2016 se a competição for realizada dia 1o. de setembro de 2016 em diante.

A diferença de cálculos é porque para a FINA a temporada de competições em piscina curta obedece o calendário do hemisfério norte, onde o período de competições é entre setembro a agosto, e não janeiro a dezembro. Isso é tanto uma herança da Copa do Mundo de Natação quanto faz parte da cultura de diversos países porque a estação do verão se dá entre junho e agosto.

Para obter o ponto que deseja, você usa a seguinte fórmula:

Screen Shot 2016-04-09 at 19.30.38

P = pontos
B = tempo-base (o recorde mundial da prova)
T = tempo obtido

Para calcular, por exemplo, um tempo de 2:02.30 nos 200m livre feminino em piscina longa na temporada 2016, fazemos a seguinte conta:

2:02.30 = 122,30 segundos (toda conta deve ser feita em segundos)
Recorde mundial dos 200m livre feminino em piscina de 50m em 31 de dezembro de 2015 é (todos os tempos-base podem ser vistos neste link)
1:52.98 = 112,98 segundos

DIVISÃO: 112,98 ÷ 122,30 = 0,92379395

0,92379395 x 0,92379395 x 0,92379395 (a divisão elevada à terceira potência) = 0,78836138

MULTIPLICAR POR 1000 = 788,36138

A regra da FINA é que o número deve ser absoluto e sua casa decimal deve ser arredondada para baixo (1,45 = 1 e 1,51 = 2).

Então, a pontuação encontrada é 788 pontos. Ou 2:02.30 = 788 pontos.

Quanto maior a pontuação, melhor é o resultado comparado ao recorde mundial.

A FINA mantém uma página dedicada ao assunto, toda em inglês: https://www.fina.org/content/fina-points

Existem outros métodos de cálculo para comparar diversas provas, o mais comum deles é a simples divisão entre o tempo obtido e o recorde mundial da prova. Este cálculo é muito comum em competições masters, mas está caindo em desuso porque não permite uma comparação com outras competições, criando assim um problema para organizar, por exemplo, um ranking ou até mesmo definir o melhor tempo de uma temporada.

A CBDA utilizava até 2015 uma tabela de pontos considerada mais justa, desenvolvida e mantida pela ISSA (Associação Internacional de Estatísticas de Natação, em inglês), mas a partir de 2016 utilizará a fórmula da FINA.

No Brasil, esta pontuação é chamada de “índice técnico” e significa desempenho por pontos. Este índice técnico é usado para premiar os melhores atletas de uma competição (Troféu Melhor Índice Técnico) e como critério de convocação de diversas seleções, estaduais, regionais ou nacionais.

Assim como ocorre com recordes, o índice técnico também é bem diferente quando comparado entre os dois tipos de piscina. Então se você marcou 2:02.30 nos 200m livre feminino na piscina longa, a sua pontuação será 788, enquanto que se você fizer o mesmo tempo, mas em piscina curta, sua pontuação será 743, menos pontos porque o recorde mundial em piscina curta é menor que o recorde mundial em piscina longa, e consequentemente sua marca em piscina curta está mais distante do recorde mundial do que na piscina longa…

 

Árbitro de Nataçãohttp://www.regrasdenatacao.com.br/
Olá, eu sou o árbitro de natação e adoro discutir sobre regras de natação. Leia, releia, discuta e conheça as regras que movimentam o nosso esporte.
RELATED ARTICLES

2 COMENTÁRIOS

  1. O tempo de reação é a diferença entre o momento da partida acionado pelo dispositivo eletrônico (“start system”) e o momento em que nenhuma parte do atleta está em cima do bloco. Isso se consegue com uma placa instalada em cima do bloco (ou instalada no próprio bloco de partida), que fica “ativada” enquanto houver um atleta em cima dela. Quando não há atleta em cima, é como se o cronômetro parasse, gerando a diferença entre o tempo da partida e o tempo em que não há ninguém em cima do bloco.

  2. Oi Boa noite como é calculado o tempo de reação dos atletas desde que eles saiam do bloco.

Most Popular

Recent Comments

ALCIDES PEREIRA DA SILVA on Vídeo: como é uma virada de costas regular
Lidyane Maciel on As categorias no Brasil
Bruno Gouvea on A saída de mergulho
Guilherme da Silva on Nado borboleta na categoria master
Maria Salete ribeiro on As categorias no Brasil
GABRIELA AMANCIO VELOSO on Como é calculado o índice técnico
Sandra Belarmina da Silva Rodrigues on As categorias no Brasil
Anonimo on Regras oficiais
Victor hugo on A saída de mergulho
Marco Túlio Vichinski Rocha on As categorias no Brasil
Gilson Ataides Rodrigues on As categorias no Brasil
Marcia on Regras oficiais
Fabiana Machado Santos on As categorias no Brasil
José Carlos on Regras oficiais
Eduardo Alvim on Regras oficiais
Marco Batista on Entre em contato!
Marco Aurélio Marques Batista on Entre em contato!
Marco Aurélio Marques Batista on Árbitros brasileiros relacionados na FINA
wendell de oliveira freire on Entre em contato!
luis on Regras oficiais
Erlon Pinheiro on Regras oficiais
paulo roberto de souza on Regras oficiais
Natan Cyrino Volpini on Entre em contato!
Natan Cyrino Volpini on Perfil: Marcelo Falcão
hudson furlanetto silva on Virada errada de costas
Fenelon Vieira de Carvalho on Como é feito um balizamento?
miguel on Regras oficiais
Ninfa Aliaga Tello on Perfil: Marcelo Falcão
arbitro on Regras oficiais
Eduardo on Regras oficiais
Fernando Franco on A saída de mergulho
Fenelon Vieira de Carvalho on Mudanças no nado peito
arbitro on Regras oficiais
Julio Cesar on A posição dos pés
Ronaldo Marra on A posição dos pés
arbitro on Trajes aprovados
celso dolivo on Trajes aprovados
Germano Colling on A posição dos pés
jose estevam simoes on Entre em contato!
Ernesto Lima Filho on Entre em contato!
LUIZ FERNANDO on As categorias no Brasil
Daniel Takata on Swim-off: o que é isso?
Alexandre on A saída de mergulho
Adalberto on Voltando a submergir
Adalberto on Regras oficiais
Andréa Coêlho on Regras oficiais