sábado, junho 22, 2024
InícioNadadorConheça o contador digital

Conheça o contador digital

O Brasil vai conhecer no último dia do Troféu Maria Lenk 2016, pela primeira vez, o contador digital de voltas, o mais novo dispositivo eletrônico desenvolvido pela Omega, empresa responsável pela cronometragem eletrônica das provas de natação em Jogos Olímpicos e Campeonatos Mundiais.

12093533_912093722219039_1842008113_n

Este contador digital é como uma caixa preta com um grande display luminoso de 2 números, que fica no fundo da piscina, a 5 metros da borda oposta da saída.

O objetivo dele é o mesmo que as placas de contagem que normalmente são utilizadas em todo mundo: informar os nadadores das provas individuais de 800 e 1500 metros quantas voltas faltam para ele terminar a prova.

lc

Válido apenas para estas provas – não para provas de 400 metros – as placas são de tamanho suficiente para que o nadador consiga ver o número que é mostrado a ele pelo juiz de volta da sua raia.

A regra da FINA SW 2.6.3 determina que o número de voltas que deve ser mostrado deva ser ímpar e sempre o número de voltas que resta (ou seja, começando do maior número para o menor).

As tradicionais placas de contagem
As tradicionais placas de contagem

Em provas de 800 metros, em piscina longa, a placa de contagem deve iniciar então no número 15, e decrescendo de 2 em 2. Já em piscina curta, a contagem deve iniciar no número 29, decrescendo de 2 em 2.

Em provas de 1500 metros, em piscina longa, a placa de contagem inicia-se no número 29, decrescendo de 2 em 2, enquanto que em piscina curta, a contagem inicia-se em 59.

O nadador já sabe que ele terá à disposição essa contagem providenciada pelo juiz de volta. O que o nadador e o juiz devem combinar (com auxílio do treinador) é como o número será mostrado ao nadador. Existem atletas que preferem olhar antes da virada, erguendo a cabeça, e por isso pede pro juiz mostrar a placa no meio da raia, próximo do chão. Normalmente a placa é mostrada na altura do juiz, do lado esquerdo ou direito da raia, e o nadador força a cabeça para olhar mais atrás após a virada para ver o número. E existe ainda a possibilidade do juiz colocar a placa dentro d’água, evitando que o nadador mexa muito sua cabeça no momento da virada. Uma vara pode auxiliar o juiz a colocar a placa nestes casos, mas no Brasil isso não é comum.

 

Com o novo dispositivo eletrônico, ele já se encontra submerso na piscina, não atrapalhando de forma alguma o nado do atleta. Como ele encontra-se 5 metros antes da virada e seu display é luminoso, o atleta consegue verificar o número com o mínimo de alteração em sua técnica de nado.

A cada virada, o número de voltas é atualizado automaticamente, não sendo necessário intervenção humana para controlar a contagem.

OMEGA_Backstroke_ledge_and_Lap_counter

Antes da última piscina (faltando 55 metros em piscina longa e 30 metros em piscina curta), o dispositivo não exibe o número 1 mas sim a cor vermelha, indicando que é a última virada que o nadador deve realizar para completar a prova.

A regra atual da FINA não permite que sejam utilizados dispositivos que orientem o atleta com relação ao tempo, como relógios. Mas como informa o árbitro Daniel Schneider direto do Estádio Aquático Olímpico, o dispositivo usado no Brasil vai mostrar o tempo dos atletas sob autorização da própria FINA, uma novidade até mesmo para a própria regra e um prenúncio de que uma mudança nesta regra poderá ocorrer em 2017.

O contador eletrônico de voltas foi introduzido inicialmente no Campeonato Mundial de Piscina Curta de 2014, em Dubai, e foi amplamente usado no Campeonato Mundial 2015, em Kazan. Ele será usado também nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Em geral, os atletas foram muito positivos com relação à novidade, causando distração a poucos outros.

Confira na prática como funcionou o contador, apesar de não haver uma aproximação da câmera, é visível os dispositivos na marca dos 5 metros antes da virada:

Árbitro de Nataçãohttp://www.regrasdenatacao.com.br/
Olá, eu sou o árbitro de natação e adoro discutir sobre regras de natação. Leia, releia, discuta e conheça as regras que movimentam o nosso esporte.
RELATED ARTICLES

Most Popular

Recent Comments

ALCIDES PEREIRA DA SILVA on Vídeo: como é uma virada de costas regular
Lidyane Maciel on As categorias no Brasil
Bruno Gouvea on A saída de mergulho
Guilherme da Silva on Nado borboleta na categoria master
Maria Salete ribeiro on As categorias no Brasil
GABRIELA AMANCIO VELOSO on Como é calculado o índice técnico
Sandra Belarmina da Silva Rodrigues on As categorias no Brasil
Anonimo on Regras oficiais
Victor hugo on A saída de mergulho
Marco Túlio Vichinski Rocha on As categorias no Brasil
Gilson Ataides Rodrigues on As categorias no Brasil
Marcia on Regras oficiais
Fabiana Machado Santos on As categorias no Brasil
José Carlos on Regras oficiais
Eduardo Alvim on Regras oficiais
Marco Batista on Entre em contato!
Marco Aurélio Marques Batista on Entre em contato!
Marco Aurélio Marques Batista on Árbitros brasileiros relacionados na FINA
wendell de oliveira freire on Entre em contato!
luis on Regras oficiais
Erlon Pinheiro on Regras oficiais
paulo roberto de souza on Regras oficiais
Natan Cyrino Volpini on Entre em contato!
Natan Cyrino Volpini on Perfil: Marcelo Falcão
hudson furlanetto silva on Virada errada de costas
Fenelon Vieira de Carvalho on Como é feito um balizamento?
miguel on Regras oficiais
Ninfa Aliaga Tello on Perfil: Marcelo Falcão
arbitro on Regras oficiais
Eduardo on Regras oficiais
Fernando Franco on A saída de mergulho
Fenelon Vieira de Carvalho on Mudanças no nado peito
arbitro on Regras oficiais
Julio Cesar on A posição dos pés
Ronaldo Marra on A posição dos pés
arbitro on Trajes aprovados
celso dolivo on Trajes aprovados
Germano Colling on A posição dos pés
jose estevam simoes on Entre em contato!
Ernesto Lima Filho on Entre em contato!
LUIZ FERNANDO on As categorias no Brasil
Daniel Takata on Swim-off: o que é isso?
Alexandre on A saída de mergulho
Adalberto on Voltando a submergir
Adalberto on Regras oficiais
Andréa Coêlho on Regras oficiais