sábado, março 2, 2024
InícioÁrbitroA atualização das Regras da FINA

A atualização das Regras da FINA

A FINA atualizou esta semana no seu site as regras de natação que valem até 2017, a partir do dia 23 de setembro deste ano.

FINA_logo_standard_color_small

 

Clique aqui para abrir as novas regras.

Diversos itens foram atualizados, modificados e alguns até adicionados. Não vimos itens removidos. Destacamos as principais alterações das regras:

  • Formulário de recorde mundial agora consta que o recorde só pode ser estabelecido em água doce (SW 12.10);
  • O número mínimo de árbitros gerais para Olimpíadas e Mundiais passa a ser 2;
  • A função de locutor (announcer) é oficialmente declarada como parte do grupo que compõem um quadro de arbitragem;
  • Não é mais obrigatório a função de Juiz de Chegada quando não há sistema de cronometragem automático e/ou três cronômetros por raia (SW 1.2.3);
  • Os 3 cronômetros por raia não são mais obrigatórios, mas sim são “aconselháveis” pela FINA (SW 2.8.1);
  • A função do Chefe dos Cronometristas torna-se mais importante porque quando a competição só tiver 1 cronometrista por raia, ele se torna responsável tanto pelo mau funcionamento de algum dos cronômetros em uso, repondo-o, quanto para registrar o primeiro tempo de cada série (SW 2.8.2);
  • Os tempos de balizamento agora serão determinados de acordo com o período de qualificação anunciado – isso vale para Olimpíadas, Mundiais, Jogos Regionais (como o Pan-Americano) e outras competições da FINA. Esse período pode ser, então, maior que 18 meses, por exemplo (SW 3.1.1);
  • As provas de 400, 800 e 1500m agora não precisam ser mais balizadas em 3 séries com os 24 melhores tempos, mas em 2 séries com os 16 melhores tempos, como o sistema de balizamento para semifinais (leia matéria a respeito): melhor tempo raia 4 última série, segundo melhor tempo raia 4 penúltima série; terceiro tempo raia 5 última série, quarto tempo raia 5 penúltima série etc;
  • Os desempates (swim-off) não precisam mais ocorrer 30 minutos após o término da prova, mas sim num horário de acordo mútuo entre os envolvidos (atletas, técnicos e árbitros) (SW 3.2.3);
  • No nado de costas, o atleta ainda poderá virar os ombros para ficar fora da posição de costas, mas a braçada ou braçada dupla deve ser realizada imediatamente quando sair da posição de costas, e como um ato contínuo (SW 6.4);
  • No nado de peito e borboleta, quando o atleta tocar a parede, ele pode fazer a virada de qualquer forma, desde que quando deixar a parede o corpo continue na posição de bruços (SW 7.2 e SW 8.1);
  • Movimentos alternados das pernas ou pernadas de borboleta – direcionados para baixo (downward) – não são permitidos no nado de peito, exceto na saída ou depois de cada virada (uma golfinhada apenas é permitida) (SW 7.5);
  • O toque das mãos na parede no nado de peito e borboleta devem ser feitos separadamente (não pode mais tocar com uma mão em cima/junto da outra) (SW 7.6 e SW 8.4);
  • Na última braçada antes da chegada ou antes de cada virada, o movimento apenas dos braços sem a pernada de peito é permitido (SW 7.6) – ESCLARECIMENTO ATUALIZADO EM 22/AGO: Quando realizar a última braçada antes da chegada ou antes de cada virada, é permitido ao atleta realizar o movimento dos braços sem completar com o movimento das pernadas, que é obrigatório durante o nado;
  • A braçada de borboleta deve ser trazida para frente e sobre o nível da água simultaneamente e também levada da parte frontal até o próximo ciclo de braçada debaixo d’água (SW 8.2);
  • O atleta não pode usar equipamentos que permitam a flutuação, velocidade ou resistência, agora explicitando o uso de braceletes energéticos e adesivos corporais (SW 10.8);
  • O revezamento misto é sempre composto por 4 nadadores: 2 homens e 2 mulheres. No entanto, nenhuma parcial dos revezamentos mistos poderão ser usados para recordes ou como tempo de balizamento (SW 10.10 e SW 12.11);
  • A lista de recordes mundiais agora incluem o 4x100m livre misto e 4x100m medley misto para piscina de 50m e o 4x50m medley misto, 4x50m livre misto, 4x50m livre e 4x50m medley para piscina de 25m. Notem que o 4x100m misto não terá recorde mundial reconhecido em piscina de 25m (SW 12.1 e SW 12.2);

 

Árbitro de Nataçãohttp://www.regrasdenatacao.com.br/
Olá, eu sou o árbitro de natação e adoro discutir sobre regras de natação. Leia, releia, discuta e conheça as regras que movimentam o nosso esporte.
RELATED ARTICLES

17 COMENTÁRIOS

  1. Sim, desde que esteja ainda com o braço em movimento para o quadril no momento em que virou de bruços. Se ambos os braços estão na posição do quadril, você está de bruços, está batendo perna e não começou o movimento para virar, é desclassificada.

  2. Dependerá do estilo. No livre, durante a virada, é permitido, mas na chegada não porque ela ainda faz parte da prova e a regra 5.3 diz que alguma parte do corpo tem que romper a superfície d’água durante a prova. No nado peito, é a regra 7.4 e no nado borboleta é a regra SW 8.5

  3. Não existe flexibilização de acordo com a regra da FINA. No entanto, cada país pode adotar sua própria regra para categorias chamadas “age-group” (12 anos ou menos), mas isso deve ficar bem claro no regulamento de cada competição.

  4. Gostaria de saber .se existe diferença nas regras de competição para a categoria Petiz1 e a regra oficial da FINA.Existe alguma flexibilização das regras para essa ou outras categorias de idade?

  5. Manoel, a resposta dada pelo arbitro aplica-se apenas na chegada, pois ao fazer a volta você pode virar, dando apenas duas braçadas de maneira contínua e fazendo a cambalhota tocando a parede com os pés. Aconselho realizar este movimento após passar o “T”, caso contrário não chegará até a parede!

  6. Nas viradas e chegadas dos nados peito e borboleta ha a exigencia de alguma parte do corpo estar quebrando a superficie da agua?

  7. Piscinas com água salinizada podem ter sim recorde reconhecido. Na verdade o item limita é alguma idéia de obter recorde em água do mar ou ainda lagoas.

  8. Com base no primeiro item de alterações nas regras (Formulário de recorde mundial agora consta que o recorde só pode ser estabelecido em água doce (SW 12.10)) Como ficarão os recordes para as piscinas que são salinizadas? Caso sejam estabelecidos novos recordes os mesmos não serão homologados?

    Obrigado.

  9. “A single butterfly kick is permitted during the first arm stroke followed by a breaststroke kick.” SW 7.1
    A golfinhada só é permitida durante a “puxada” da braçada. Se a golfinhada ocorre antes das mãos se separarem ou depois que a “puxada” terminar, normalmente parando na altura da cintura, é passível de desclassificação.

  10. Podem ser realizadas batidas de pernas de crawl, após a tomada de posição de decúbito ventral? – SIM, até o momento que a braçada finalizou.
    Pode realizar a segunda braçada, uma na posição de finalização de costas e uma já na posição de decúbito ventral (de crawl), utilizada para aproximação em direção à parede? – DEPENDE. Esta segunda braçada tem que ser o ato contínuo que começa antes do corpo virar de bruços ou ultrapassar o limite dos 90 graus.

  11. A questão da filipina e a golfinhada. Continua sendo permitida uma golfinhada, mas ela obrigatoriamente tem que ser entre o início e o final da braçada submersa? Ou pode ser a qualquer momento da parte submersa da saída?

  12. A questão da virada no nado de costas. Podem ser realizadas batidas de pernas de crawl, após a tomada de posição de decúbito ventral? Pode realizar a segunda braçada, uma na posição de finalização de costas e uma já na posição de decúbito ventral (de crawl), utilizada para aproximação em direção à parede?

  13. Nunca. Ao tocar qualquer parte do corpo na prova de costas, até o toque o corpo na parede você tem que estar na posição de costas.

Most Popular

Recent Comments

ALCIDES PEREIRA DA SILVA on Vídeo: como é uma virada de costas regular
Lidyane Maciel on As categorias no Brasil
Bruno Gouvea on A saída de mergulho
Guilherme da Silva on Nado borboleta na categoria master
Maria Salete ribeiro on As categorias no Brasil
GABRIELA AMANCIO VELOSO on Como é calculado o índice técnico
Sandra Belarmina da Silva Rodrigues on As categorias no Brasil
Anonimo on Regras oficiais
Victor hugo on A saída de mergulho
Marco Túlio Vichinski Rocha on As categorias no Brasil
Gilson Ataides Rodrigues on As categorias no Brasil
Marcia on Regras oficiais
Fabiana Machado Santos on As categorias no Brasil
José Carlos on Regras oficiais
Eduardo Alvim on Regras oficiais
Marco Batista on Entre em contato!
Marco Aurélio Marques Batista on Entre em contato!
Marco Aurélio Marques Batista on Árbitros brasileiros relacionados na FINA
wendell de oliveira freire on Entre em contato!
luis on Regras oficiais
Erlon Pinheiro on Regras oficiais
paulo roberto de souza on Regras oficiais
Natan Cyrino Volpini on Entre em contato!
Natan Cyrino Volpini on Perfil: Marcelo Falcão
hudson furlanetto silva on Virada errada de costas
Fenelon Vieira de Carvalho on Como é feito um balizamento?
miguel on Regras oficiais
Ninfa Aliaga Tello on Perfil: Marcelo Falcão
arbitro on Regras oficiais
Eduardo on Regras oficiais
Fernando Franco on A saída de mergulho
Fenelon Vieira de Carvalho on Mudanças no nado peito
arbitro on Regras oficiais
Julio Cesar on A posição dos pés
Ronaldo Marra on A posição dos pés
arbitro on Trajes aprovados
celso dolivo on Trajes aprovados
Germano Colling on A posição dos pés
jose estevam simoes on Entre em contato!
Ernesto Lima Filho on Entre em contato!
LUIZ FERNANDO on As categorias no Brasil
Daniel Takata on Swim-off: o que é isso?
Alexandre on A saída de mergulho
Adalberto on Voltando a submergir
Adalberto on Regras oficiais
Andréa Coêlho on Regras oficiais