Você está aqui: Home » Regras » Nado Livre » A virada de Ryan Lochte

A virada de Ryan Lochte

maxresdefault

Durante o segundo dia de competições da natação do 16o. Campeonato Mundial, o nadador americano Ryan Lochte mostrou ao mundo uma técnica peculiar: após a virada no nado livre, ele sai da parede na posição de costas para realizar o nado submerso na posição de costas e então virar-se para a posição de crawl e continuar nadando.

Lochte é protagonista de um vídeo muito bem feito sobre a tradicional virada de crawl:

Deixando de lado a técnica envolvida, algumas pessoas perguntam se isso é válido. Sim, é válido.

O nado livre tem regras muito simples:

  1. O nadador tem que tocar na parede a cada volta e na chegada com qualquer parte do corpo;
  2. O nadador tem que quebrar a superfície d’água durante todo o percurso com qualquer parte do corpo;
  3. O nadador tem que quebrar a superfície d’água até o limite de 15 metros depois da saída e de cada virada.

Se Lochte quisesse continuar nadando de costas, ele poderia. Se ele depois da virada continuasse a nadar de borboleta, ele poderia.

Obviamente não seria uma opção viável tecnicamente visto que até hoje o nado crawl é o mais rápido, mas não há impedimento na regra para ele testar novas posições, desde que não infrinja as 3 regras citadas.

Árbitro de Natação

Olá, eu sou o árbitro de natação e adoro discutir sobre regras de natação. Leia, releia, discuta e conheça as regras que movimentam o nosso esporte.

http://www.regrasdenatacao.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *