sábado, junho 22, 2024
InícioCompetiçãoRevolução na piscina: como a golfinhada mudou a história da natação

Revolução na piscina: como a golfinhada mudou a história da natação

Uso da pernada submersa nas largadas e viradas surgiu nos anos 1970, mas foi nas Olimpíadas de Seul-1988 que essa técnica se popularizou de vez, a ponto de obrigar a imposição de limites

Por Globoesporte.com — 09/06/2020

As Olimpíadas de Seul-1988 foram palco da consagração de uma das técnicas mais revolucionárias da história da natação. Foi quando a golfinhada, pernada típica do estilo borboleta, se popularizou como procedimento de largada nas provas de nado costas. O impacto foi tão grande que a Federação Internacional de Natação precisou impor limites ao uso dessa técnica. 

O uso da golfinhada nas largadas e viradas submersas surgiu na década de 1970. Um dos pioneiros foi o porto-riquenho Jesse Vassallo, atleta olímpico nos Jogos de Los Angeles-1984. Essa técnica permitia que o nadador evitasse o atrito das ondas dos adversários e ganhasse mais velocidade embaixo d’água. 

Em Seul-1988, a golfinhada chegou ao ápice da popularidade no nado costas. Na final da prova de 100m, nada menos que cinco competidores percorreram 25 metros ou mais embaixo d’água, na largada. O ganho de velocidade era nítido.

Davd Berkoff, dos Estados Unidos, nas Olimpíadas de Seul-1988 — Foto: Mike Powell /Allsport

– Você nunca mais vai ver isso. Aquilo abriu os olhos de todo mundo: “Por que estão todos embaixo d’água, dando pernada e indo tão longe? Estão mais rápidos do que quem está na superfície”! Foi uma revelação, não só para o público, mas para treinadores e outros nadadores – explica Kim Bang-Hyun, nadador sul-coreano que disputou os Jogos Olímpicos de Atlanta-1996, Sydney-2000 e Atenas-2004.

– Fiquei submerso por apenas 25 metros na primeira prova. Eu sabia que David Berkoff tinha ficado embaixo d’água por 35 metros na primeira prova, porque eu tinha visto o vídeo. E isso significava que tínhamos uma diferença de dez metros. Então, (na final) minha estratégia era nadar 30 metros debaixo d’água – recorda Suzuki. 

O impacto da nova técnica foi tão grande que a Federação Internacional de Desportos Aquáticos (Fina) interveio. Hoje em dia, o uso da golfinhada nas largadas e viradas só é permitido por uma distância máxima de 15 metros.

Daichi Suzuki foi ouro nos 100m costas nas Olimpíadas de Seul-1988 — Foto: Simon Bruty/Getty Images 
Árbitro de Nataçãohttp://www.regrasdenatacao.com.br/
Olá, eu sou o árbitro de natação e adoro discutir sobre regras de natação. Leia, releia, discuta e conheça as regras que movimentam o nosso esporte.
RELATED ARTICLES

Most Popular

Recent Comments

ALCIDES PEREIRA DA SILVA on Vídeo: como é uma virada de costas regular
Lidyane Maciel on As categorias no Brasil
Bruno Gouvea on A saída de mergulho
Guilherme da Silva on Nado borboleta na categoria master
Maria Salete ribeiro on As categorias no Brasil
GABRIELA AMANCIO VELOSO on Como é calculado o índice técnico
Sandra Belarmina da Silva Rodrigues on As categorias no Brasil
Anonimo on Regras oficiais
Victor hugo on A saída de mergulho
Marco Túlio Vichinski Rocha on As categorias no Brasil
Gilson Ataides Rodrigues on As categorias no Brasil
Marcia on Regras oficiais
Fabiana Machado Santos on As categorias no Brasil
José Carlos on Regras oficiais
Eduardo Alvim on Regras oficiais
Marco Batista on Entre em contato!
Marco Aurélio Marques Batista on Entre em contato!
Marco Aurélio Marques Batista on Árbitros brasileiros relacionados na FINA
wendell de oliveira freire on Entre em contato!
luis on Regras oficiais
Erlon Pinheiro on Regras oficiais
paulo roberto de souza on Regras oficiais
Natan Cyrino Volpini on Entre em contato!
Natan Cyrino Volpini on Perfil: Marcelo Falcão
hudson furlanetto silva on Virada errada de costas
Fenelon Vieira de Carvalho on Como é feito um balizamento?
miguel on Regras oficiais
Ninfa Aliaga Tello on Perfil: Marcelo Falcão
arbitro on Regras oficiais
Eduardo on Regras oficiais
Fernando Franco on A saída de mergulho
Fenelon Vieira de Carvalho on Mudanças no nado peito
arbitro on Regras oficiais
Julio Cesar on A posição dos pés
Ronaldo Marra on A posição dos pés
arbitro on Trajes aprovados
celso dolivo on Trajes aprovados
Germano Colling on A posição dos pés
jose estevam simoes on Entre em contato!
Ernesto Lima Filho on Entre em contato!
LUIZ FERNANDO on As categorias no Brasil
Daniel Takata on Swim-off: o que é isso?
Alexandre on A saída de mergulho
Adalberto on Voltando a submergir
Adalberto on Regras oficiais
Andréa Coêlho on Regras oficiais