Você está aqui: Home » Árbitro » Confira as Regras atualizadas para 2013-2017

Confira as Regras atualizadas para 2013-2017

Demorou, mas a CBDA tornou pública em junho a tradução das regras oficiais de natação traduzidas em português, regras que são válidas para o quadriênio 2013 a 2017, quando poderá sofrer alterações e adições durante o congresso técnico da FINA no Campeonato Mundial de Desportos Aquáticos a ser realizado em Budapeste, na Hungria, marcado para julho de 2017.

REGRAS FINA 2013 – 2017 – PORTUGUÊSScreen Shot 2016-08-01 at 10.48.18

A tradução não está completa, porque as regras envolvem as regras gerais (“By-Law”), regras de locais (“Facilities Rules”) e outras, mas a parte do livro da FINA que aborda as regras da modalidade de natação está completa.

As alterações e adições de regras sofridas em 2014 (algumas foram adicionadas após o Congresso Técnico do Campeonato Mundial de Piscina Curta, em Doha, no Catar) são as seguintes – em grande maioria sobre a categoria “Junior”:

budapest2017_logo_white_1

SW 2.1.7 – O Árbitro Geral desclassificará qualquer nadador por qualquer outra a infração às regras que observar pessoalmente. O árbitro pode também desclassificar qualquer nadador por qualquer violação reportada a ele por qualquer outro oficial autorizado. Todas as desclassificações estão sujeitas à decisão do Árbitro Geral.

SW 2.6.3 – Nas provas de 800 e 1500 metros, um juiz de volta colocado na cabeceira de saída ou de virada deve anotar o número de voltas completadas pelo nadador de sua raia e informá-lo sobre o número de voltas que falta completar, mostrando-lhe as placas de volta. Poderá ser utilizado equipamento automático, incluindo display subaquático. 

SW 6.1 – Antes do sinal de partida, os competidores devem alinhar-se na água, de frente para a cabeceira de saída, com ambas as mãos colocadas nos suportes de agarre. Manter-se na calha ou dobrar os dedos sobre a borda da calha é proibido. Quando o suporte de partida para o nado costas estiver sendo usada na saída, os dedos de ambos os pés devem estar em contato com a borda ou com a placa de toque do placar eletrônico. Curvar os dedos dos pés na parte superior da placa de toque é proibido. 

SW 6.2 – Quando o suporte de partida do nado costas estiver sendo utilizada, cada inspetor na cabeceira de saída deve instalar e remover após a saída. 

SW 7.1 – Após a saída e em cada volta, o nadador pode dar uma braçada completa até as pernas, durante a qual o nadador pode estar submerso. Uma única pernada de borboleta é permitida em qualquer momento antes da primeira pernada de peito após a saída e após cada virada.

SW 12.1 – São reconhecidos como Recordes Mundiais e Recordes Mundiais Juniors, em piscina de 50 metros, as seguintes distâncias e nados para ambos os sexos: 
Livre 50, 100, 200, 400, 800 e 1500 metros 
Costas 50, 100 e 200 metros 
Peito 50, 100 e 200 metros 
Borboleta 50, 100 e 200 metros 
Medley 200 e 400 metros 
Revezamentos livre 4×100 e 4×200 metros 
Revezamento medley 4×100 metros 
Revezamento Misto 4×100 livre e 4×100 medley metros 

12.1.1 Os grupos etários para registros de recorde Mundial Júnior são os mesmos que para os Campeonatos Mundiais Júnior da FINA e só podem ser reconhecidos em piscinas de 50 metros. 

SW 12.7 – Os recordes Mundiais e recordes mundiais juniors só serão homologados quando os tempos registrados por Aparelhagem Automática, ou por Aparelhagem Semi-Automática no caso de não funcionamento da Aparelhagem Automática. 

SW 12.8 – Os recordes Mundiais e recordes mundiais juniors só serão homologados se os nadadores estiverem usando trajes aprovados pela FINA.

SW 12.9 – Tempos iguais até ao 1/100 de segundo serão reconhecido como Recordes igualados e os nadadores que obtenham esses tempos serão chamados co-recordistas. Apenas o tempo do vencedor de uma prova pode ser apreciado para Recorde Mundial – exceto para recordes mundiais juniors. No caso de empate numa prova, todos os nadadores empatados com tempo Recorde serão declarados vencedores.

SW 12.10 – Os Recordes Mundiais e os recordes mundiais juniors só serão homologados quando estabelecidos em piscina de água doce. Nenhum recorde será reconhecido quando estabelecido em água salgada.

SW 12.11 – O primeiro nadador de uma prova de revezamento, exceto nos revezamentos mistos, pode estabelecer um Recorde Mundial ou um recorde mundial júnior. No caso do primeiro nadador de uma equipe de revezamento completar o seu percurso em tempo recorde de acordo com o previsto nesta subseção, seu registro não será anulado por qualquer desclassificação de sua equipe que venha a verificar-se por infrações cometidas após a sua distância ter sido completada.

SW 12.12 – Um nadador numa prova individual poderá estabelecer um Recorde Mundial ou um recorde mundial júnior em uma distância intermediária se ele/ela, ou seu/sua treinador(a) ou representante requerer especificamente ao Árbitro Geral para que a sua prova seja cronometrada especialmente ou se o tempo na distância intermediária for registrado por Aparelhagem Automática aprovada. Este nadador deve terminar o percurso previsto da prova para poder requerer a homologação do Recorde do percurso intermediário.

SW 12.13 – Pedidos de homologação de Recordes Mundiais e recordes mundiais juniors devem ser feitos em impressos oficiais da FINA pela autoridade responsável da Organização ou Comitê Técnico Organizador da Competição e assinada por qualquer representante autorizado da Federação do País do nadador uma vez verificado que todos os regulamentos foram cumpridos, incluindo um certificado de Controle Anti-Doping (DC 5.3.2). A solicitação deve ser enviada ao Secretário da FINA dentro de 14 dias após a realização da prova.

SW 12.14 – A reivindicação de um Recorde Mundial ou recorde mundial júnior deve ser provisoriamente relatada por e-mail ou fax ao Secretário Honorário da FINA dentro de sete (7) dias da data da prova.

SW 12.16 – Uma vez recebido o pedido oficial e após verificação de que a informação contida no pedido, incluindo o Certificado Anti-Doping negativo, está correto, o Secretário Honorário da FINA declarará o novo Recorde Mundial ou recorde mundial junior, verificará se esta informação foi publicada, e verificará se os certificados foram enviados às pessoas cujos pedidos foram aceitos. 

SW 12.17 – Todos os Recordes feitos durante os Jogos Olímpicos, Campeonatos Mundiais, Campeonatos Mundiais Juniors de Natação e Copas do Mundo serão aprovados automaticamente. 

SW 12.18 – Se o determinado na SW 12.13 não tiver sido respeitado e na falta disso, A Federação do País do Nadador pode solicitar a homologação de um Recorde Mundial ou recorde mundial junior. Após as investigações devidas, O Secretário Honorário da FINA está autorizado a aceitar tal recorde, no caso do pedido ser considerado correto.

SW 12.19 – Se o pedido de homologação de um Recorde Mundial ou recorde mundial junior for aceito pela FINA, será enviado um diploma assinado pelo Presidente e pelo Secretário Honorário da FINA à Federação do País do Nadador para lhe ser entregue, em reconhecimento pelo seu feito. Um quinto diploma do Recorde Mundial ou recorde mundial junior será enviado a todas as Federações cujas equipes de revezamentos estabeleçam um Recorde Mundial. Este diploma ficará de posse da Federação. 

SW 12.20 – Periodicamente, a FINA pode adicionar novos eventos para os quais os nadadores podem estabelecer recorde mundial ou recorde mundial junior. Para cada caso, a FINA estabelecerá os tempos a serem superados; Se um nadador consegue um tempo que é melhor do que o tempo alvo, deve ser considerado um Recorde Mundial ou recorde mundial junior, desde que todos os requisitos em SW 12 sejam atendidos. 

 

Árbitro de Natação

Olá, eu sou o árbitro de natação e adoro discutir sobre regras de natação. Leia, releia, discuta e conheça as regras que movimentam o nosso esporte.

http://www.regrasdenatacao.com.br/

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *